Defesa Civil

Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil

Coordenador: José Lopes

Celular: 33 999532728.  33 984544807

Av. Raul Soares nº 310, 2º Andar – Centro – Aimorés/MG

PLANO DE CONTINGENCIA AIMORES

________________________________________________________________________

BOLETIM ESTADUAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL

338 DE 04 DE DEZEMBRO DE 2017 – Boletim atualizado
339 DE 05 DE DEZEMBRO DE 2017 – GLP

________________________________________________________

DICAS

Enchentes

COMO EVITAR
Não jogue lixo nas ruas, nos córregos, nas áreas verdes e nem nas margens de rios.
O lixo (desde móvel velho, latas a até papel de bala) provoca entupimento de bueiros e ramais de drenagem, impedindo o escoamento da água.

É bom saber também: 

Os desmatamentos aumentam a erosão do solo e deixam os rios desprotegidos, causando maior risco de deslizamentos, enchentes e seca.

COMO AGIR 

EM ÁREA COM RISCO DE ALAGAMENTOS:
Primeiramente, não construa próximo a córregos, nem em cima ou embaixo de barrancos que possam deslizar.
Se o nível de água estiver subindo, vá com sua família para um lugar seguro;
Antes de sair, desligue aparelhos elétricos e o quadro geral de energia, feche o registro de água, feche bem as portas e janelas;

Só volte para casa quando as águas baixarem e apenas durante o dia;
Quando retornar para casa, tome cuidado com aranhas, cobras e ratos, ao movimentar objetos, móveis e utensílios;
Jamais reaproveite a água da enchente e nem coma alimentos que tiveram contato com essas águas;
Se a sua residência foi destruída durante a enchente, não retorne a construir no mesmo lugar;
Avise a Defesa Civil se a chuva causou rachaduras em sua casa.

COMO AGIR 
NA RUA:

Evite sair quando ocorrerem chuvas fortes;
Se estiver na rua, evite andar em ruas alagadas;
Se já estiver numa área inundada, procure se proteger o máximo possível para evitar o contato com a água. Use calçados ou improvise, com sacos plásticos;
Não se aventure a enfrentar correntezas. Fique em lugar seguro. Se precisar, peça ajuda;
Se a correnteza estiver muito forte, segure-se em cordas ou em outras pessoas;
Mesmo que você saiba nadar bem, não se arrisque em travessias;
Evite cruzar pontes em que o nível do rio subiu;
Não se abrigue debaixo de árvores isoladas;
Não se aproxime de cercas de arame, varais metálicos e trilhos;
Mantenha-se longe de fiação elétrica exposta;

Não tome água nem coma alimentos que estavam em contato com as águas da inundação.

COMO AGIR 
DENTRO DE CARRO:

Evite sair de casa quando ocorrerem chuvas fortes;
Se já estiver no trânsito, fique atento;
Aos primeiros sinais de alagamento procure áreas elevadas para estacionar e aguarde o nível da água baixar;
Ande devagar, aumente a distância do veículo da frente e não feche os cruzamentos;
Não pare o carro próximo a árvores ou postes;
Evite áreas alagadas. Se for inevitável atravessá-las, mantenha aceleração contínua.
Aguarde que o carro que esteja a sua frente transponha a área alagada para, em seguida, realizar a sua travessia;
Não fique próximo a caminhões ou ônibus. Veículos de grande porte provocam marolas que podem prejudicar o controle da direção ou inundar e apagar o motor;
Se o nível da água atingir o batente inferior da porta é hora de abandonar o veículo. Com água acima das rodas, o carro começa a boiar e fica sem controle. Se alcançar as janelas, ocorre o bloqueio das portas, impedindo a saída e dificultando o resgate.

Como se proteger dos raios

 DENTRO DE CASA

Afaste-se das janelas e também não fique na varanda;

Desligue da tomada os aparelhos eletrônicos como som, computador e televisão;
Evite usar o chuveiro ou  a torneira elétrica;
Afaste-se de tomadas, canos e objetos metálicos;
Evite tocar em qualquer equipamento elétrico ligado à rede elétrica;
Não use telefone  com fio ou celular ligado à rede elétrica (utilize apenas telefone sem fio).

FORA DE CASA

Procure abrigo em carros não conversíveis, em moradias ou prédios ou em abrigos subterrâneos  como metrôs ou túneis.
Evite  segurar objetos metálicos longos, tais como varas de pesca e tripés;
Não  empine pipas;
Evite contato com cercas de arame, grades, tubos metálicos, linhas telefônicas, de energia elétrica ou estruturas metálicas;
Não opere tratores ou máquinas, especialmente, para rebocar equipamentos metálicos;
Não permaneça dentro d’água durante as tempestades;
Se estiver num carro, fique dentro dele com as janelas fechadas. E não estacione próximo a árvores ou linhas de energia elétrica.
Procure abrigo em lugar seguro. NUNCA nos locais abaixo, pois oferecem pouca ou nenhuma proteção contra raios:

  •    pequenas construções não protegidas,  como celeiros, tendas ou barracos
  •    veículos sem capota, como tratores, motocicletas ou bicicletas
  •    estacionamentos abertos
  •    campos abertos, pastos
  •    campos de futebol e quadras abertas
  •    piscinas, lagos, praias
  •    árvores isoladas
  •    postes
  •    lugares altos

SAIBA MAIS

O Brasil é o país campeão mundial em incidência de raios. Por aqui caem 50 milhões de raios por ano e a explicação é geográfica: é o maior país da zona tropical do planeta – área central onde o clima é mais quente e, portanto, mais favorável à formação de tempestades e de raios.
Pesquisas também indicaram visíveis aumentos de incidência de raios em áreas urbanas. Essa maior incidência de raios está relacionada ao aumento de temperatura (fenômeno conhecido como ilha de calor) e de poluição nos centros urbanos.
A chance de uma pessoa ser atingida diretamente por um raio é muito baixa, sendo em média menor do que 1 para 1 milhão. Contudo, se a pessoa estiver numa área descampada embaixo de uma tempestade forte, esta chance pode aumentar em até 1 para mil. Mas não é a incidência direta do raio a maior causadora de mortes e ferimentos. Geralmente são os efeitos indiretos associados a incidências próximas ou efeitos secundários dos raios que trazem risco.
Se for apanhado em céu aberto e sentir carga elétrica em seu corpo (caracterizada por eriçamento do cabelo e formigamento da pele), fique atento. Isso pode indicar a proximidade de um raio  prestes a cair. Ajoelhe-se e curve-se para frente, colocando suas mãos nos joelhos e sua cabeça entre eles.. Não toque com as mãos no chão.

Fonte: Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)


OUTRAS CURIOSIDADES

  • Relâmpago é uma corrente elétrica muito intensa que ocorre na atmosfera. Quando  se conecta ao solo é chamado de raio.
  • A maioria das tempestades severas está associada a um grande número de raios e trovões.
  • A intensidade típica de um raio é de 30 mil Ampères, cerca de mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico.
  • O Brasil é o país campeão mundial em incidência de raios.
  • Um raio pode cair duas vezes em um mesmo lugar.
  • 80% dos casos de mortes por raio podem ser evitados se as pessoas souberem como se proteger.

Fonte: Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)